Utilidade SP: Campeãs mundiais do futebol feminino são recebidas pelo prefeito Bruno Covas

Da Assessoria da Prefeitura SP - O prefeito Bruno Covas recebeu nesta quarta-feira (14), em seu gabinete, as jogadoras da equipe sub-15 do futebol feminino do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa (COTP), administrado pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME). Em julho, elas conquistaram a Disney Cup, campeonato mundial da categoria, disputado em Orlando, nos Estados Unidos.


O secretário municipal de Esportes e Lazer, Carlos Bezerra Jr, participou do encontro do prefeito com as multicampeãs. Além da Disney Cup, as jogadoras venceram recentemente a Copa Sul-Americana, no Paraguai; o Campeonato Brasileiro e o Campeonato Paulista.

O prefeito Bruno Covas e o secretário Carlos Bezerra Jr falaram dos projetos para a melhoria do Centro de Olímpico de Treinamento e Pesquisa e demais Centros Esportivos municipais.

O Centro Olímpico da Prefeitura de São Paulo é referência no futebol feminino. É o único clube do país a ter categoria sub-11 para as meninas. Elas começam no COTP aos 8 anos e podem ficar até os 17. As atletas não pagam para treinar e têm um campo exclusivo.

São cerca de 100 jogadoras em todas as categorias. Há também peneiras categorias que são cada vez mais concorridas. A última, realizada no dia 9 de agosto, reuniu 150 meninas.


Texto e foto: Pérola Stewart - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Ler 185 vezes Última modificação em Sábado, 17 Agosto 2019 18:54
JKAwebmaster

E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Itens relacionados (por marcador)

  • Adiamento de Tóquio 2020 por causa do coronavírus dá esperança para Rússia

    A pandemia do coronavírus não poupará ninguém do esporte. Os jogos foram suspensas, atletas e torcedores foram para casa e a indústria do esporte parou. Até a Olimpíada, que só não aconteceu por causa das grandes guerras foi adiada. E esse adiamento devolve uma esperança perdida que pela Rússia, a de participar do principal evento esportivo do planeta. No dia 9 de dezembro, a Agência Mundial Antidopagem (WADA) castigou a Rússia.

     

    @leiemcampo... - Veja mais em https://www.uol.com.br/esporte/colunas/lei-em-campo/2020/04/14/adiamento-de-toquio-2020-por-causa-do-coronavirus-da-esperanca-para-russia.htm?cmpid=copiaecola

    Segundo a investigação, o esquema estatal de doping abrangeu, entre outros eventos, os Jogos Olímpicos de Londres 2012 e Sochi 2014 (inverno), as Universíadas e os Mundiais de atletismo de 2013.

    Com o adiamento dos jogos de Tóquio para 2021, o ministro russo do esporte afirmou na semana passada que as autoridades internacionais devem "virar a página" e anular o castigo imposto ao país de exclusão dos Jogos.

    "O mundo está parado, está isolado, está em casa. Agora, existem outras prioridades e há problemas que passam para segundo plano. A prioridade é o futuro do movimento olímpico e esta sanção prejudica muito isso. É altura de virar a página e a Rússia está disponível para receber e organizar vários eventos internacionais quando isto tudo terminar", disse Oleg Matytsin.

    Com a nova data para os jogos, a Rússia ganha tempo para defesa, mas segue em situação complicada. A comprovação do esquema de doping ficou clara, a a falta de colaboração do país também foi comprovada. Além disso, a punição por doping tem dois princípios importantes.

    O primeiro é o do jogo limpo, que garante a igualdade entre os competidores.

    Outro, a função pedagógica, se pune para dar o exemplo daquilo que não é tolerado pelo movimento esportivo.

    A Rússia já recorreu da decisão da WADA ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), o julgamento estava previsto para o final de abril.

    Em março, o TAS se manifestou sobre o caso.

    O Tribunal anunciou que a audiência de apelação não será ouvida em público com a alegação de que "não existe um acordo entre todas as partes envolvidas". A WADA queria que a audiência fosse pública.

     

    Entenda o caso

    Em setembro de 2019, a WADA abriu um procedimento formal de conformidade após a descoberta de "inconsistências" nos dados fornecidos pela agência de dopagem do país, a Rusada.

    A WADA deu à Rússia três semanas para explicar. Como resultado, os atletas russos ficaram de fora do Campeonato Mundial de Atletismo em Doha pelo órgão governamental do esporte, a IAAF.

    A determinação da Agência Mundial para ter acesso aos dados armazenados no laboratório russo estava entre as principais condições para o fim da suspensão da Rusada pela política de doping coletivo, mas as promessas não foram cumpridas.

    E, para complicar ainda mais, depois foi descoberto que os dados entregues para a agência antidoping foram manipulados, prejudicando as amostras e fazendo com que novos casos de doping baseados nos dados fossem descobertos.

    Os atletas que puderem provar que não estão contaminados pelo escândalo de doping poderão competir quando os eventos internacionais forem retomados sob uma bandeira neutra.

    Um total de 168 atletas russos competiu sob uma bandeira neutra nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 em Pyeongchang depois que o país foi banido após os Jogos de 2014, sediados em Sochi. Os atletas russos conquistaram 33 medalhas em Sochi, 13 das quais eram de ouro.

    Fonte: UOL - @leiemcampo

  • Brasil bate recorde de medalhas e fecha Pan em 2º após 56 anos

    Campanha brasileira na competição continental foi histórica, com direito a 55 medalhas de ouro, 45 de prata e ainda 71 de bronze.

     A delegação brasileira enviada para competir nos Jogos Pan-Americanos deixam a cidade de Lima com a melhor participação da história na competição continental. Com 55 ouros, 45 pratas e 71 bronzes, o Brasil superou o número de medalhas conquistadas nos Jogos do Rio de Janeiro e voltou a figurar na segunda colocação geral do quadro de medalhas após 56 anos.

    A última vez em que o Brasil terminou o Pan-Americano atrás apenas dos Estados Unidos foi nos Jogos de São Paulo, disputados em 1963. Na ocasião, a delegação nacional somou 52 medalhas, sendo 14 de ouro, 20 de prata e 18 de bronze.

    Até a competição em Lima, era também em território nacional, nos Jogos do Rio de Janeiro, que o Brasil havia acumulado o maior número de medalhas: 157, com 52 ouros. A quantidade de idas ao lugar mais alto do pódio foi superada pelo nadador Guilherme Costa nos 1.500 metros livres.

     Dos 486 atletas da delegação brasileira, 236 (48,5%) deixam a capital peruana com ao menos uma medalha no peito, sendo 133 homens e 103 mulheres.

    Além dos resultados positivos, o Brasil volta para casa com nove vagas diretas conquistadas para as Olimpíadas do ano que vem. Garantiram a ida às competições em Tóquio o handebol feminino e as equipes de hipismo (adestramento, cross-country e saltos).

    As vagas individuais foram garantidas pela pentatleta Maria Iêda Guimarães, pelo tenista João Menezes e pelo mesatenista Hugo Calderano. Também estão confirmados na capital japonesa dois velejadores da classe 49er e um brasileiro do tiro com arco.
    pelo tenista João Menezes e pelo mesatenista Hugo Calderano. Também estão confirmados na capital japonesa dois velejadores da classe 49er e um brasileiro do tiro com arco.
    Publicidade
    Fechar anúncio

    O retorno ao segundo lugar do quadro de medalhas e a obtenção do maior número possível de vagas para as Olimpíadas de Tóquio eram duas das metas do COB (Comitê Olímpico Brasileiro) para os Jogos Pan-Americanos.


    Fonte: PortalR7

  • FBEE/BA - Destaque do Campeonato Brasileiro Escolar de Futebol

    Encerramos a competição com saldo muito positivo. No feminino a EEEM Ceciliano Abel de Almeida - São Mateus ficou em 3º lugar na série bronze, e no masculino a escola Emílio Nemer - Castelo, ficou em 2º lugar também na série bronze.

    Parabéns a todos!


    Federação Baiana de Esporte Escolar

    A Federação Baiana de Esporte Escolar, tem como objetivo promover e contribuir para o esporte escolar baiano!

    Federação Baiana de Esporte Escolar - FEBRE
    Presidente: Ari Souza
    Rua Natuba, 2º andar, sala 203, Pernambues – Salvador/BA
    CEP 41110-542
    Fones: (71) 99917-0944 Fixo (71) 31044545
    email: fbeebahia@gmail.com / aribasquete@yahoo.com.br / secretaria@fbee.org.br
    site: www.fbee.org.br

  • CAMPEONATO DE FUTEBOL FEMININO CBDE 2019

    CAMPEONATO DE FUTEBOL FEMININO CBDE 2019

    CAMPEONATO DE FUTEBOL FEMININO CBDE 2019 - Imagens: Fotógrafo Pedro H. dos Santos - MACEIÓ-AL 2019

  • Porto Velho receberá Centro de Desenvolvimento do Futebol até 2020, diz responsável da CBF Social

    O auditório da escola Major Guapindaia, em Porto Velho, ficou movimentado, após a visita da Comissão Social da Confederação Brasileira de Futebol na manhã desta quinta-feira, 23. O local recebeu o seminário sobre Futebol na Infância e na Adolescência – Projeto Gol do Brasil. O evento contou com a participação de autoridades, estudantes, professores e atletas.A escola Major Guapindaia foi escolhida pelo destaque como centro de treinamento de Desporto Escolar em Rondônia.

    Em entrevista à CBN Amazônia Porto Velho, o presidente da Federação de Futebol do Estado de Rondônia (FFER), Heitor Costa, destaca a importância da visita da CBF Social na capital.

    O objetivo da vinda do Diogo, que é o diretor de sustentabilidade e responsável pelos projetos sociais na CBF, inclusive o Gol do Brasil, é fazer conhecido o projeto, que até foi levado ao prefeito, pois é um projeto que abrange muitos bairros e comunidades estudantis, principalmente das escolas municipais. Assim a CBF daria um apoio muito grande e uma reciprocidade da prefeitura - diz Heitor.

    Diogo Netto, gerente da CBF Social, fala da construção do Centro de Desenvolvimento do Futebol e de prazos para a entrega da obra. Estivemos com o prefeito para falar sobre o projeto Gol do Brasil, que a CBF vai construir um centro de desenvolvimento do futebol nos 15 estados que não tiveram Copa do Mundo e aqui em Porto Velho receberá um centro. Umas das atividades vai ser o Gol do Brasil, que é uma escola cujo o objetivo é formar cidadão por meio do futebol. Acreditamos que no máximo ano que vem o centro esteja construído - fala Diogo.

    A comissão do CBF Social chegou na capital de Rondônia no último dia 22 de maio e seguirá até o próximo dia 24. CBF Social é responsável por fomentar ações de responsabilidade social por meio do esporte.

    Fonte: Globo Esporte.com

     

     

Entre para postar comentários
Top